O Papel da Arte

Basilio, Dora

Dora Basilio ao lado de Rossini Perez em mostra internacional de arte brasileira na década de 60.

Dora de Sá Freire Basilio nasceu no Rio de Janeiro em 1924. Gravadora e desenhista. De 1957 a 1959, estudou desenho com Géza Heller e, desse último ano a 1961, gravura com Friedlaender, Rossini Perez e Anna Letycia, no Museu de Arte Moderna no Rio. Começou a apresentar seus trabalhos em 1959. Participou, entre outras mostras coletivas, do VIII e do X ao XV SNAM (entre 1959 e 1966), IX  ao XII SPAM (entre a 1960 a 1963 / medalha de bronze em 1961 e pequena medalha de prata em 1963), SMBABH (a partir de 1959 / medalha de bronze em 1965), Spar.Ba ( a partir de 1961 / medalha de bronze e prêmio de aquisição em 1961 e medalha de ouro em 1965), I, II e III SAMDF (de 1964 a 1966 / Prêmio Nacional de Brasília para gravura em 1964), III Resumo de arte do Jornal do Brasil (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1965), VIII e IX BSP (1865-1967) e I BNAP (1966).

Realizou exposições individuais nas galerias Ambiente (São Paulo, 1963) e H.Stern (Rio de Janeiro, 1964), e no Centro Cultural de Nova Friburgo (1964). No exterior, além de estudar na Escola de Belas Artes Slade (Universidade de Londres, 1966) e fazer estágio no Royal College  of Arts, da mesma cidade, apresentou-se individualmente no Chile (1964 e 1965), Londres (Institute of Contemporany Arts, 1965, e Galeria Zwemmer, 1966), Milão (Galeria Arte Ítalo-Brasileira, 1966) e Lisboa (Galeria Gravura, 1966); participou da exposição Arte Atual da América e Espanha (cidades da Europa, 1963) e em mostras de artistas brasileiros contemporâneos em cidades da Inglaterra (1965) e Buenos Aires (1966). Foi incluída na exposição A Gravura Brasileira (Museu Histórico Nacional, RJ em 1968). Jose Roberto Teixeira Leite disse, em 1966, que sua gravura se caracteriza “tematicamente pela alusão às formas naturais expressas numa linguagem sem maiores compromissos com a realidade objetiva. A artista toma, como ponto de partida ou motivação de sua obra, determinado objeto que a tenha impressionado (…) e vai pouco a pouco se afastando desse objeto, do qual conserva somente o esquema básico, certas linhas e massas essenciais.” Tem obras nos Museus de Arte Moderna do Rio, Bogotá e Texas além do MNBA. Fonte: Dicionário de Artes Plásticas no Brasil, Roberto Pontual.

Obras à venda:

DORA BASILIO: “Sem titulo”, gravura em metal, 1965.

Sem título“, 1965.
Gravura em metal, água-forte.
Tiragem: 04/20
Dimensão total: 32cm x 27cm
R$ 1.500,00

DORA BASILIO: “Sem título”, gravura em metal, 1966.

Sem título“, 1966.
Gravura em metal, água-forte.
Tiragem: 03/20
Dimensão imagem: 49,5cm x 39cm
Dimensão da folha: 54,5cm x 43cm
R$ 1.800,00

EXPOSIÇÃO “RUGENDAS: UM CRONISTA VIAJANTE” NA CAIXA CULTURAL SP

  Poucos artistas estrangeiros que estiveram no Brasil,  conhecidos como pintores viajantes, conseguiram  a notoriedade que  Rugendas recebeu ao desembarcar por aqui em sua segunda visita. Foi recebido com honras jamais alcançadas até então por qualquer outro artista que tenha produzido uma grande ... leia mais

© Copyright 2010 - Todos os direitos reservados - Made with WordPress