O Papel da Arte

Souza, Jose Maria de

Na Bahia, estudou gravura com Mário Cravo Júnior e desenho com Juarez Paraíso. Participou da VI e da VII Bienal de São Paulo (1961 e 1963), e expôs regularmente sua pintura no Brasil e no exterior. Para José Roberto Teixeira Leite, José Maria “possui afinidades evidentes com outros artistas brasileiros, entre os quais Guignard, Pancetti e Djanira, para não falar em Goeldi – artista de sua obsessão. O paralelo com os três primeiros pintores não é gratuito – diz ainda o crítico – como eles é José Maria um lírico, um dos raros casos de temperamento romântico observáveis na arte moderna do Brasil; quanto à aproximação com Goeldi, justifica-se, porque existem, na arte de José Maria elementos inconfundivelmente expressionistas, grande dose de drama escondendo-se sob a aparência tão doce de seus clowns e casais de namorados.”

Referências:A gravura brasileira contemporânea (Expressão e Cultura, 1966), de José Roberto Teixeira Leite; Artistas brasileiros: acervo do Grupo Sul América de Seguros (Colorama, 1975) e O Brasil por seus artistas (MEC, 1979), de Walmir Ayala; Nordeste histórico e monumental (Odebrecht, v. 4, 1991), de Clarival do Prado Valladares.

Fonte:  www.bolsadearte.com

Obra à venda:

Xilogravura de Jose Maria de Souza

Xilogravura de Jose Maria de Souza

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sem título“, 1964, Rio.
Xilogravura sobre papel japonês
Tiragem: 35/110
Dimensão: 20cm x 28,5cm  /  30,3cm x 43cm
R$ 2.000,00

Entrevista de Carlos Scliar e sua importância na história da gravura

Há 20 anos atrás a Oficina do SESC-TIJUCA, publicou três livros de entrevistas denominado “GRAVURA BRASILEIRA HOJE: depoimentos”, coordenado pelas professoras   Heloisa Pires Ferreira e Maria Luiza Távora, com as entrevistas feitas por Adamastor Camará,  onde foram colhidos o testemunho dos mais ... leia mais

© Copyright 2010 - Todos os direitos reservados - Made with WordPress